Decoração

Decoração
Decoração

Vídeos

Vídeos
Vídeos

Receitas

Receitas
Receitas

Das coisas bonitinhas que se lê


Eu não tenho muita paciência pra clichês. Não que eu não tenha os meus e não os repita sempre, mas, sem dúvida, a grande maioria me enche de abuso. É que eu acho que muita coisa da vida a gente aprende nos lugares errados, então traz pra realidade certas coisas que acabam se impondo à força, tipo "toda mulher adora ganhar flores". É um clichê dos mais manjados, que se estabeleceu sei lá como, por influência de quê, mas o fato é que eu sempre acho é que boa parte das moças, mesmo as que repetem esse bordão ardentemente, nem se sentem especialmente empolgadas com esse tipo de presente, mas, sei lá, meio que inconscientemente esboçam uma reação de satisfação um pouco exagerada pra ajudar a manter o mito.

A gente passa a infância aprendendo sobre amor e sexo na TV, aí fica com umas idéias que só fazem atrapalhar na vida real. Dia desses eu li numa revista uma menina de uns vinte e poucos contando que, logo depois da primeira vez, terminou o namoro porque lá, na hora, não sentiu nenhum prazer e ainda doeu, daí ela não agüentava olhar pra cara do menino depois. Meo, na hora me veio à cabeça um apanhado de cenas de sexo nas novelas: tudo em câmera lenta, coreografado, velas ao redor, luz especial, música de fundo e os atores com cara de quem acabou de receber um milagre. Aí me lembrei de Malhação, onde toda menina, depois da primeira vez, chega pra amiga e diz coisas do tipo "foi lindo, ouvi sinos tocando". Daí quando a mocinha passa pela situação real, toda atrapalhada, desconfortável mesmo, com sangue, dor, suor e movimentos meio, er... bruscos, acha que viveu uma coisa horrível, anormal, que não devia ser assim e blá blá blá.

Enfim, o que eu queria dizer mesmo é que, diferente disso tudo, eu li uma coisa bem bonitinha essa semana. É que Pete Wentz, marido de Ashlee Simpson, falou que tá casado com a mulher em que ele pensa quando se masturba. Achei uma declaração bem mais legal do que a maioria das que eu vejo e leio por aí, que, na maioria das vezes, são só a repetição de umas frases decoradas e repetidas à exaustão. Essa não, parece tão próxima da realidade, soa mais sincera, espontânea, menos pretenciosa, enfim, é bonitinha mesmo.

17 comentários

  1. PollySales13/01/10 09:10

    Foi sincero.

    ResponderExcluir
  2. Gostei. Não gosto de flores. Murcham rápido. E não têm graça. Mas isso que vc disse é verdade, a tv faz com que tudo isso pareça mágico e ,na verdade, não é. Por isso não vejo tv \o/

    ResponderExcluir
  3. Disse tudo! Adorei a declaração do Pete.

    ResponderExcluir
  4. Sobre virgindade, o cara que faz "movimentos bruscos" na primeira vez da menina é um verdadeiro OGRO. A minha foi super tranquila, nada foi feito na pressa. Eu não sei se os caras é que são brutos ou se realmente é inveitável a dor e o sangue. Eu não tive nenhum dos dois. Oo

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo texto, poucas pessoas tem coragem de expor a verdade.

    ResponderExcluir
  6. Oi Dani, que bom pro Pete, mas na verdade eu não estou muito interessada em quem ele pensa quando se masturba - é o tipo de coisa que eu acho que o cara fala pra aparecer (a não ser que seja perguntado, claro, não sei se foi esse o caso, se foi eu já me retrato automaticamente), porque só diz respeito a ele e a ela. Sim, eu espero que minha metade se masturbe pensando em MIM, mas nem acharia nada essas coisas uma declaração pública disso. Vida privada tem que ser isso aí mesmo, PRIVADA.

    Na boa, em termos de manifestação pública de apreço, prefiro ganhar flores do que declarações sobre masturbação estampadas em jornal. Ganhei flores poucas vezes na vida e nem ouvi sinos tocando, não achei que fosse o máximo dos máximos, mas valeu pelo gesto. Se ao invés de flores eu tivesse ganho um cartão com alguns dizeres, ou sei lá, um pedaço de bolo, acho que surtiria o mesmo efeito. É o gesto, não o presente. E nem isso (o fato de ter ganho flores) eu achei necessário espalhar aos quatro ventos...

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post de hj, bem de acordo com a realidade. Não gosto de flores, prefiro minha parte em dinheiro rs! Meu marido vive falando que sou sua musa "naquelas horas" e acho isso o maximo!! Vale mais do que 10 buques de rosas colombianas! Afinal de contas ele pode pensar em quem quiser e mesmo assim pensa em mim?! Pronto, ganhei o dia!!!
    Já falei que sou fã do blog??

    bjs!!

    Dany Bello

    ResponderExcluir
  8. Super concordei. Muita gente diz que não sou romântica porque não gosto de flores, jantar à luz de velas e outras bobajadas. Mas eu acho que romântico mesmo é tudo aquilo que vc faz de verdade, pensando na pessoa que vc ama, e em como fazê-la feliz. Eu, por exemplo, ficaria maravilhada com alguém que sempre lavasse os pratos depois das refeições, e dispensaria lindamente flores e ursinhos de pelúcia (argh!). Por que todo mundo acha que a gente tem que ser clichê?

    ResponderExcluir
  9. Joo, concordo que isso do gesto ser mais importante que o presente faz sentido. Mas acho que a questão que a Dani colocou é que, à parte do gesto carinhoso que é presentear, muitas mulheres dizem que preferem receber flores, e que gostam mais disso do que de ganhar outras coisas, somente porque existe a instituição firmada de que "ganhar flores é romântico e toda mulher gosta".

    E, bom, se a namorada dele se incomodou com a declaração ter sido pública, isso é chato e fez o efeito inverso, se o objetivo a agradá-la. Mas, mais uma vez, eu acho que a questão que a Dani coloca não é exatamente sobre expor isso ao público, mas que é mais legal dizer a(o) amada(o) que se masturba pensando nela(e) do que fazer algum outro "gesto romântico" pré-fabricado e clichê, como dar uma caixa de bombons em forma de coração.

    ResponderExcluir
  10. Eu entendi o que a Dani colocou, Gabriel, se tem uma coisa na qual eu sou craque é interpretação de texto, e eu tinha que nascer craque em alguma coisa já que não nasci homem e boleiro.

    É que eu não acho a declaração dele legal em contexto NENHUM. Acho a caixa de bombons mais legal, porque na minha opinião o cara só falou isso pra aparecer. E, se alguém tem alguma dúvida do quanto Pete Wentz se empenha em aparecer, e se a gente precisa realmente de um contexto, olha o cara aqui:

    http://winkcity.blogspot.com/2008/01/pete-wentz-exposed.html

    Ou seja, ele não fez uma declaração de amor pra pessoa com quem ele está. Ele fez, sim, uma declaração sobre o quanto ele é legal, alternativo, enfim, fodão.

    Fico com os bombons.

    ResponderExcluir
  11. (eu acho que dá pra fazer uma declaração saindo do 'clichê', mesmo que o importante seja o gesto e não a declaração em si. talvez seja mais legal, sei lá, escrever no espelho com marcador ou gravar um video do que dar flores ou bombons. mas o cara apelou. e quem apela, na minha humilde opinião, automaticamente já perdeu.)

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Adorei seu post.
    Realmente eu prefiro uma declaração mais próxima da realidade do q o meu namorado me dando flores e dizendo eu te amo e daí qdo eu viro as costas tome-le-gaia...

    Sempre tem as senhoras de idade ( de corpo e de mente) chatas q vão pensar o contrario , mas é a vida né...

    ResponderExcluir
  14. Nossa, já tive um namorado há muito tempo que me disse isso, pena que não casamos!
    Pq o cara apelou? Acho que isso é onveja branca, pq é tudo de bom ouvir uma declaração dessas ;-)

    ResponderExcluir
  15. Nossa, já tive um namorado há muito tempo que me disse isso, pena que não casamos!
    Pq o cara apelou? Acho que isso é onveja branca, pq é tudo de bom ouvir uma declaração dessas ;-)

    ResponderExcluir
  16. Eu ODEIO buquê de flores,desde o início de namoro avisei ao meu namorado e,graças a Deus, em mais de 03 anos de relacionamento ele nunca me deu um buquê.
    Mas minha situação é fácil explicada por um trauma de infância: minha mãe levava mais chifrada do que um toureiro, e sempre depois deles recebia flores,então o clichê para mim virou isso.
    Mas,já recebi uma flor roubada de um arranjo no meio do Shopping e desatei a chora toda besta emocionada.
    Moral da história: cada caso é um caso,cada história é uma história e acho que por isso todos os clichês românticos são permitidos,porque eles soam igual mas são completamente diferentes,afinal,cada um tem sua história.
    Sobre a declaração do Pete Wenz,cada um se expressa do jeito que quer e que o relacionamento permite. Meu namorado já me disse isso mas creio que se resolvesse anunciar publicamente iria ficar totalmente tímida,hahahaha.

    Beijos,chérie.

    ResponderExcluir