Decoração

Decoração
Decoração

Vídeos

Vídeos
Vídeos

Receitas

Receitas
Receitas

Parem de censurar a maternidade

Uma discussão que não é nova mas que mostra novas faces sempre é o tanto de censura que coisas normais da vida e do corpo sofrem. Estrias, cicatrizes, pelos, poros, tudo isso é motivo de vergonha e, de insumo normal do corpo, virou coisa a ser escondida ou arrancada o quanto antes.

Disso tudo, saímos nós, cada vez mais constrangidas de ser quem somos, tentando encontrar nossa versão mais plástica possível pra não incomodar ninguém. Aí, a gente fica na expectativa pra ver o limite de tudo isso, pra ver até que ponto ser humano normal, ou ainda ser mulher normal, vai ser considerado feiúra e desleixo. Até onde vai, eu não sei, mas sei que ser mãe tá considerado cada vez mais antiestético por aqui.



Se você é da família real (como me incomoda a valorização desse título em pleno 2013) acabou de parir e apareceu numa foto maquiada, bem vestida mas com sinais de inchaço na barriga (porque, oi, tinha outra pessoa lá dentro e o corpo precisa se adaptar) falam mal de você. Agora, imagina você, uma mulher como qualquer uma de nós, engordando, com peitos que mal contêm o leite, vendo estrias surgirem, vendo o corpo mudar, percebendo que tá passando por mudanças difíceis que, mesmo em nome de algo maior, continuam sendo difíceis.



Imagine como se sente essa mulher vendo as críticas a um simples inchaço que, perto do que ela tá passando, é nada. Imagine essa mulher da vida real dois, três, quatro meses após dar à luz, quando a maior ambição que ela se dá é poder dormir algumas horas sem interrupção. Quando ela é responsável por produzir o alimento do filho e, mesmo com a divisão das tarefas com o pai do bebê (assim, assim, já que a licença paternidade não dura nem o tempo de cicatrizar os pontos do parto), ainda luta tanto o dia todo, que mal tem tempo de se olhar no espelho.

Agora pense que essa mulher pode passar pelo momento de renovação, descobertas e magia, que é ter um filho sem se dar conta de tudo isso, de tão pressionada e constrangida por não aparecer por aí impecável como uma duquesa. É difícil. E não estamos ajudando a nós mesmas legitimando essas expectativas irreais. A gente precisa de apoio pra olhar pra si mesma com mais carinho, mais aceitação.
 

Isso é o que faz do The 4th Trimester Bodies Project algo tão massa. Nele, a fotógrafa - e mãe - Ashlee Wells Jackson percorre os Estados Unidos mostrando mães de bebês com seu corpo, suas marcas e sua alegria à mostra. O lema do projeto que vai virar livro no futuro é "Parem de censurar a maternidade" e se propõe a mostrar por aí, principalmente nas redes sociais, que a beleza da maternidade vai além da "perfeição" plástica que a gente se acostumou a admirar.

Todas as fotos do post são do projeto e espero que elas tenham deixado o dia de vocês mais bonito - e a mente mais livre - como deixou o meu.



48 comentários

  1. Cara, que projeto mais lindo. E é muito legal ver blogs falando sobre esse tipo de coisa, mexendo na auto estima das pessoas normais, com corpos normais e problemas normais.
    Bem legal, parabéns :)

    ResponderExcluir
  2. melhor post de todos os tempos! :´D

    ResponderExcluir
  3. Todas lindas!! Odeio todo tipo de censura!!

    ResponderExcluir
  4. São todas mães lindas, com suas qualidades, imperfeições e particularidades!

    ResponderExcluir
  5. Vânia Cristina20/09/13 16:47

    Adorei seu post.
    Temos um movimento aqui em Ubatuba/SP chamado Roda de Mães de Ubatuba. Onde falamos sobre parto, puerpério, maternidade consciente...
    Neste movimento temos uma fotógrafa q, hj, voltou a morar na Inglaterra - Letícia ValVerdes. Ela tem um projeto chamado Birth Marks- Marcas de Nascença q teve início com mulheres brasileiras, moradoras de Ubatuba/SP.
    Gostaria mto q vc conhecesse e compartilhasse da história destas mulheres (e minha história :) )
    Seja bem vinda e gratidão pelo seu post!
    Estou compartilhando!

    https://www.facebook.com/Birthmarks?fref=ts

    Vânia C.

    ResponderExcluir
  6. Aiii que post danado de lindooo!
    Emocionei e compartilharei.
    Parabéns :D

    ResponderExcluir
  7. Dani
    Assim que vi a foto da duquesa saindo da maternidade inchada pensei: que massa!!! que arretado!!! Que coragem.Deu vontade de gritar: "alô, mulheres, é assim que a gente fica depois de ter bebê!!!!" Depois, tudo melhora( ou não muito rsrsrs) mas essa é a realidade! Eu saí assim da maternidade, milhares de mulheres saem assim, Cláudias Leittes da vida são exceções!!!! "Exceções" essas muitas vezes forjadas na lipoescultura feita ainda NA HORA do parto (uma amiga fez, por isso sei que acontece...)A história de que se emagrece SÓ com amamentação tbm não vale pra todas, não existe regra. O cansaço e a exaustão de mãe após o parto é punk.A cobrança por beleza e perfeição é implacável e absurda. Sejamos normais meu povo, com barriguinha, celulite e estrias com a moderação necessária e POSSÍVEL!!!Parabéns Dani, com sensibilidade e sensatez aguçadas não é necessário ser mãe ou ter muita idade pra tratar de um assunto de forma tão coerente.

    ResponderExcluir
  8. Nossa que lindo isso, tive um filho recentemente e me identifiquei, me tocou profundamente!

    ResponderExcluir
  9. Lindo post! Sou mãe de dois filhos lindos, um menino e uma menina, e conheço bem essas marcas e as cobranças que vêm com elas.

    ResponderExcluir
  10. Adorei, muito lindo o projeto e as fotos e seu post!!!!
    Fui mãe aos 16 anos, ótimo, meu corpo voltou super bem mesmo sem eu amamentar ( o bonitinho do meu filho resolveu que não queria sugar meu peito...e começou a perder peso!) emagreci muito e muito rápido.
    Ok, tinha 16 anos e a minha genética é boa, sou alta e magra!
    Mas gente..hj eu tenho 27...mas nem a pau que meu corpo vai voltar sozinho se eu engravidar!!!
    E nem é essa a intenção, devemos curtir esse momento aproveitar esse período e não se preocupar tanto assim com a estética.
    Apesar de eu emagrecer quase tudo e ter usado muito hidratante e óleo todos os dias, tenho lindas estrias nas coxas e na minha borda de catupiry...
    Paciência, a primeira coisa que entregamos quando temos filhos é o nosso corpo!!!!!
    E não dá para tudo ficar perfeito depois de tantas mudanças que acontecem com o nosso corpo e com a nossa vida né?

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. adorei as fotos que mostram a realidade neh?
    amei o post =)

    bjos
    kammy
    Comer, Blogar, Amar

    ResponderExcluir
  12. Perdão, coloquei como anônimo pois não lembro minha conta no Google e realmente não sei o que significa nenhum dos outros, rs... nem tenho vergonha de dizer isso!!! Hahaha... Eu simplesmente amei essa matéria, li e fiquei emocionada, somos tão cobradas as vezes né... A mídia acaba com a nossa "raça", a pressão é grande pra voltar ter o corpo, emagrecer rápido. Eu por exemplo escutei esses dias: "Nossa, ainda bem que vc emagreceu 10kg quando estava com enjoos, é bom que vc volta o corpo rapidinho". Rs... gente desde quando emagrecer porque não conseguia comer e só vomitava é bom? Rs. Esse post é incrível, para que as mães se aceitem, eu mesmo fiquei com a barriga horrível da minha primeira gravidez, me constrange muito até hoje, pois sempre escuto: "Deixa eu ver como ficou sua barriga". Rs... E imagino agora depois de outra gestação (38 semanas)vai ficar horrorosa, rs... mas em compensação... tô ganhando mais um presente de Deus. E eu tento mesmo "aceitar" o quanto ficou diferente minha barriga depois que tive filho, mas as pessoas não nos ajudam muito... linda matéria.

    ResponderExcluir
  13. Pelo contrário, eu enxergo, ultimamente, uma supervalorização da maternidade, quase como uma imposição social a mulheres nos seus 30~40 anos, como se nada pudesse trazer felicidade que não a propagação da espécie.
    Além disso, a quantidade de posts relacionados à “família real” foram, em sua maioria esmagadora, para elogiar a “normalidade” do inchaço na barriga de Kate.
    Dito isso, acredito que a busca pela beleza é inerente ao ser humano e ser mãe não torna alguém superior a nenhum outro mortal, afinal, pela natureza, a maioria de nós temos a mesma capacidade de gerar um rebento, ou seja, não é uma condição rara ou especial conquistada por nenhum ser iluminado. Dessa forma, do mesmo jeito que mulheres não provedoras sofrem com a discriminação de aparência, o que concordo ser uma condição absurdamente imbecil da nossa sociedade, nada mais natural que as progenitoras também o sofram.
    Odiei o post por colocar mães em situações “especiais”, como se o fato de transar e gerar um descendente tornasse o corpo de alguém sagrado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moça anônima, será que o post coloca as mulheres que geraram descendentes como algo sagrado mesmo ou o fato de você se incomodar com essa classificação fez com que você já reagisse a ele na defensiva.

      De modo algum acho que a maternidade é algo que faz de algumas mulheres superiores a outras, mas defender que as mulheres possam viver a maternidade tranquilamente é tão importante quanto defender que elas possam viver outras escolhas inteiramente pessoais sem cobrança social.

      Inclusive, esse é um preceito feminista atual, defender o direito de escolha sem julgamentos da mulher. Parir não é privilégio, mas não é uma coisa banal. É importante, todos nós fomos paridos, tem a ver com a geração e a formação de indivíduos. Da mesma forma, escolher uma carreira ou definir princípios éticos ou formar uma moral que enxergue o valor de suas escolhas sem denegrir escolhas alheias é importante e sempre tem espaço de defesa aqui no blog.

      Excluir
    2. Eu acho que o ser anônimo aí de cima não é mãe, e não passou por nada disso, pois trata a maternidade como algo banal, o que não é de forma alguma.

      Excluir
  14. Me assusta esse mundo cada vez mais artificial que a gente vive. Projetos (e posts) como esse me fazem respirar mais aliviada... sim, ainda existem pessoas que pensam como eu! Ufa!

    ResponderExcluir
  15. Então... eu sofri muito pelo meu corpo. Sofri muito pq nunca quis ser mãe. Ser mãe é de fato algo único, e nenhuma mulher está preparada pra isso. Muito menos o homem, pra ver morrer aquela gata, linda e gostosa cheia de amor pra dar, e ver nascer um tribufu, cheio de estrias, olheiras, mal humor, e vagina ressecada sem a menor vontade de transar. Fui assim escancarada, por que fiquei bitolada com os 20 quilos a mais, peito caído e celulite. Em um ano só pensei nisso. Não curti a minha filha, não curti minha família, só pensava em emagrecer. Hoje perdi os malditos 20 quilos. Ainda não me adaptei a maternidade, nem a ideia de ter uma família por que nesse tempo só quis voltar a ser a gata de antes pro pai da minha filha. E me esqueci de fato a quem eu deveria dar a verdadeira importância, pois o amor que a minha filha sente por mim independe disso tudo. A querida anonima que não deve ser mãe e tb não deve ter tido uma, não entendeu que no fim das contas, ser mãe é mtu mais que provar aos outros que vc continua linda depois de ter um filho, mas ser pra sempre o GRANDE EXEMPLO pros seus filhos. E ser EXEMPLO não é fácil pra ninguém. Rever valores e princípios pra dar o melhor pra vida de um ser. As que não geram filhos são mulheres também especiais pois decidiram dar amor ao filho de outra, o que pra mim é sublime. Só sabe dar amor, quem recebeu.

    ResponderExcluir
  16. Muito pertinente!!!
    Precisamos nos livrar dos estereótipos e encontrarmos com nós mesmas, em qualquer fase da vida.

    ResponderExcluir
  17. Mariana M D Bitencourt20/09/13 21:05

    Para ser perfeito seu texto, só faltou tirar essa frase sobre os "pontos do parto", afinal na cesariana, que é uma cirurgia, existem pontos, mas no parto natural não.. Assim não há generalização, nem se perpetua uma ideia equivocada sobre como as mulheres parem seus filhos.
    Que tal trocar por não deu nem tempo de descer o leite, ou de sair o cheiro de vérnix (aquela gosminha branca) do bebê?
    Tem um projeto brasileiro também, se quiser ver.. No facebook: birth marks marcas de nascença.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em partos normais há eventuais incisões e pontos sim! bem menos agressivos que em cesarianas, mas ainda assim, são pontos.

      Excluir
    2. Parto normal não é parto natural, que foi ao que me referi.
      E a tal incisão a que você se refere no parto normal, se trata da episiotomia, prática que não é recomendada há mais de 30 anos, por não existirem evidências científicas que a suportem :)
      Claro que uma episiotomia nem se compara ao corte de uma cesariana, que são 7 camadas de pele e órgãos sendo cortadas, né..

      Excluir
    3. Achei que o post se referia a imagem que a sociedade cobra das mulheres que não correm para academias apos o parto, e não ao tipo de parto de preferencia de cada uma...
      Lindas as fotos, deveriam se divulgadas em todos os meios de comunicação!!!

      Excluir
    4. Estou contigo moça anonima. Gente chata querendo dar aulas sobre partos. Da te preguiça.

      Lindo post, lindo pensamento, Dani. Parabéns!

      Excluir
    5. Concordo com Mônica! Essa tal de Mariana é mesmo "gente chata querendo dar aulas sobre partos". Dá preguiça mesmo. O projeto é lindo.

      Excluir
  18. As vezes chega a ser chocante ver fotos reais, de tanta imagem falsa e cheia de tratamento que vemos diariamente! As fotos são lindas, especialmente a última... os blogs estão tão cheios dessa onda "fitness" (ou sei lá eu como chama) ultimamente, que esse post é um oásis, precisamos ver mais disso!

    ResponderExcluir
  19. ai como ler isso é bom...especialmente por não ser em um blog sobre maternidade....
    nós mães reais -não de título mas de verdade!!!!- precisamos muito deste apoio, deste carinho, pois Deus sabe o quanto nos cobramos e o quanto nos culpamos...por tudo pelo modo de criar nossos filhos, de educá-los, a alimentação adequada, amamentação etc... aí tem este mundo plástico que vem para nos frustar.... 'claudias leite', 'fernandas lima', 'angélicas' que aparecem lindas louras e magras na porta da maternidade, com a cria no colo.... e a gente com olheiras, dores, inchadas..cheias de gazes, e os meses se passam e aquele corpo que era nosso antes da gestação as vezes não volta...ohhh céus! estas fotos são excelentes mostram a beleza de ser o que é!!!! engravidei super acima do peso, minha filha tem um ano e eu continuo com o mesmo peso de antes mas o corpo não está igual ao que era....o peso é o mesmo mas a forma é diferente! rsrs

    ResponderExcluir
  20. Nossa, que lindo ! Infelizmente a sociedade acaba com o bem-estar das pessoas, todos julgam, todos criticam, todos infernizam, mas não sabem o que a pessoa está passando, e nem tentam ajudá-la. Eu achei esse projeto Lindo demais ! E Mostra que uma mulher é linda de qualquer jeito, com suas estrias, celulites, manchas, gordurinhas, etc. Não somos feitos apenas de carne e beleza, e sim de espiritualidade. Tem muita pessoa que se molda demais, e não se ama, não tem o prazer de se olhar e de se sentir bonita apenas pelo seu jeito de ser, independente do estado do seu corpo. Foi com certeza um dos melhores projetos que u já vi ! ;D

    ResponderExcluir
  21. É triste mesmo perceber o quão violento são os nossos valores sociais, as cobranças pela aparência perfeita, sendo que essa aparência ideal é construída a partir de conceitos extremamente arbitrários. E quem não está dentro deles, ainda é considerado culpado, além de ser considerado uma pessoa pior do que as que estão. É muito triste. Sério.

    Eu fico impressionada quando vejo alguém olhar para um casal e dizer: "aaah... mas ele é bonito demais para ela". E todos em voltam acham normal esse tipo de comentário! E então eu penso que devo ter vindo de outro mundo.. como pode? As pessoas não percebem? É uma troca de valores enorme, que no fundo só leva à insatisfação, à baixa autoestima, à busca por um ideal que nunca chega, que não existe.

    E esse caso que você mostrou (projeto super lindo, aliás!) é um lado disso, dessa questão da aparência perfeita de acordo com preceitos meio tortos. Somado à questão da maternidade, onde tem mais um monte de cobranças e preconceitos super cruéis.

    Tenho visto algumas iniciativas legais assim por aí. É bom saber que não estou sozinha. E é bom ver que mais gente tem se tornado consciente dessas questões! :)

    Obrigada por compartilhar! :)
    ;**

    ResponderExcluir
  22. Basta pesquisar um pouco sobre a história da Inglaterra,principalmente na Segunda Guerra, para perceber porque a família real deve ser valorizada, assim como o título.

    ResponderExcluir
  23. Parem de censurar a família REAL

    ResponderExcluir
  24. Eu fico pensando aqui: "se eu que nem sou mãe (e não quero ser) me sinto super pressionada com os projetos do instagram, as dietas, as pessoas que à base de muita clara de ovo e peito de frango mudaram seus corpos radicalmente em, tipo, 5 meses imagina uma mulher que tá vendo a barriga e os peitos crescerem, sem poder fazer nada, com estrias e celulite tomando conta do corpo?" Aí esses mesma pobres mortais também entram no instagram e veem Gisele falando que voltou ao corpo original amamentando ou a fulana anônima que conquistou 100000 seguidores porque voltou ao corpo sarado 2 meses após o parto? Ainda mais se você não tem babás e demais recursos pra isso. Enfim, acho esse projeto bastante válido porque essa mulher que tá lá descabelada, cheia de olheiras e inchada com uma criança que não a deixou dormir a noite pode parar e pensar: "porra, nem todo mundo tá ai fazendo leg press na academia, existem pessoas como eu". Eu sei que teoricamente era pra gente ser autosuficiente, mas pouca gente alcança esse estado de graça (um verdadeiro nirvana) e, pra algumas pessoas, é reconfortante ter alguém com quem se identificar.

    ResponderExcluir
  25. Gostei muito do post, do projeto, do debate levantado nos comentários e das suas respostas, Dani.
    Parabéns!!
    Tive filho de parto normal, com anestesia, episiotomia e numa maternidade ótima, com uma médica ótima, me senti ótima, curti muito o parto, me senti vitoriosa porque na minha família quase ninguém tem parto normal...e depois fiquei me sentindo horrível, com estrias, aquela barrigona flácida!! Realmente uma violência contra a mulher cobrar qualquer coisa após nove meses crescendo e o parto.
    Conheço outro projeto sobre a aceitação do corpo feminino, com suas imperfeições, só que não necessariamente de mães, e sim de qualquer mulher que não goste de alguma parte de seu corpo...vou ver se acho que posto aqui o link, muito legal também!

    ResponderExcluir
  26. PARABÉNS PELO POST, TENHO UM GRUPO NO FACE E TENHO TIRADO MATERIAL DAQUI PRA IR DISCUTIR LÁ... É UM GRUPO FECHADO CHAMADO MULHERES REAIS. FOI PERFEITO!!!!

    ResponderExcluir
  27. Marcia Moreira24/09/13 20:08

    esta ultima foto, da mãe amamentando e segurando outro filho de cavalinho, fiz hj de manha, com as minhas 2 filhas, Beatriz de 4 meses e Brenda de 3 aninhos...muita linda e q coincidência...

    ResponderExcluir
  28. Lindas e perfeitas verdaadeira maaes

    ResponderExcluir
  29. adorei este projeto! estao de parabens.

    ResponderExcluir
  30. adorei este projeto! estao de parabens.

    ResponderExcluir
  31. Maravilhoso Trabalho .. digno de ser compartilhado!

    ResponderExcluir
  32. Parabéns!!!...linda matéria!!!....lindas fotos!!!!!!

    ResponderExcluir
  33. DESCULPEM, MAS ACHO QUE A OPINIÃO DE TODOS DEVE SER ESPEITADA, EU ACHO MARAVILHOSO MULHERES SEREM CORAJOSAS DE SE EXPRESSAREM COM O CORPO DEPOIS DA MATERNIDADE SEM VERGONHA NENHUMA, MAS VENHAMOS E CONVENHAMOS, APENAS COMENTÁRIOS FEMININOS, INFELIZMENTE ESSA NÃO É A REALIDADE ME QUE VIVEMOS, FELIZ DA MULHER QUE DEPOIS DA MATERNIDADE TEM SEU CORPO DE VOLTA AO NORMAL SEM MARCAS NENHUMA, PORQUE NA REALIDADE DOS DIAS DE HOJE A COISA NÃO FUNCIONA ASSIM, OS HOMENS ESTÃO COBRANDO CADA DIA MAIS A BELEZA E PERFEIÇÃO FEMININA E QUEM NÃO CONSEGUE ATINGIR, INFELIZMENTE VAI FICANDO PRÁ TRÁS, NÃO É A TOA QUE A CIRURGIA PLÁSTICA HOJE VEM TOMANDO QUASE O PRIMEIRO LUGAR NA FILA DAS MAIS REQUISITADAS NO MUNDO, AS PESSOAS HOJE ESTÃO DANDO MAIS VALOR A ESTÉTICA DO QUE A PRÓPRIA SAÚDE, E QUEM NÃO CONSEGUIR ACOMPANHAR, VAI PERDENDO A VEZ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu até prefiro perder todas as vezes se for para ficar com pessoas que pensem dessa maneira, caro anônimo. Não me importo de até mesmo ficar sozinha, desde que não esteja acompanhada de pessoas assim. Porém, é importante falar que nem todas as pessoas são assim - meu marido não é, por exemplo, rs. Acredito que você é uma pessoa jovem, mas olhando ao meu redor, no mundo das pessoas com mais de 30, não consigo citar nenhuma mulher ou homem que tenha corpos perfeitos - todos já mostram suas marcas de tempo, vida e/ou experiência. Apesar do que possa parecer, a maioria são pessoas bem mais interessantes hoje.

      Excluir
  34. Amei o POST, é a minha primeira vez aqui.
    Parabé ns!

    ResponderExcluir
  35. gostei muito.. pois meu corpo ficou com marcas da gravidez e sofri muito no começo , pois imaginava que as pessoas iam rir de mim ...pois no hospital o medico foi muito mal educado comigo,,,falando que eu era descuidada e que não tinha cuidado do meu corpo e tinha ficado com estrias...sabe fiquei arrasada me senti um lixo ..pois o medico me olhava com nojo e preconceito..

    ResponderExcluir
  36. perfeito! Amei!

    ResponderExcluir