Decoração

Decoração
Decoração

Vídeos

Vídeos
Vídeos

Receitas

Receitas
Receitas

Quando uma escola expulsa uma menina por causa do seu cabelo

Vocês, como eu, já foram crianças e adolescentes e, durante todo esse tempo, viram muita coisa acontecer na escola. Muitas vezes, viram professores, diretores, coordenadores agirem de uma forma equivocada, seja por não saberem o que fazer em alguma situação, seja por estarem perpetuando valores antigos, errados e, algumas vezes, preconceituosos.

Todo mundo tem uma história desagradável pra contar sobre a ação de alguma escola em que estudou, mas poucas são esdrúxulas como a de Vanessa.


Essa mocinha de 12 anos, depois de reclamar aos diretores da escola onde estuda, na Flórida, que estava sofrendo bullyng de outros alunos pelo cabelo black, foi "convidada" a alisar ou cortar o cabelo em, no máximo, uma semana. Se não, não oderia mais continuar no colégio. O argumento da escola é um tipo de dress code que define que os alunos não devam fazer uma intervenção no visual que chame atenção ou cause distração aos outros alunos. A grande questão é que Vanessa não fez nada, ela apenas está usando seu cabelo exatamente como ele é. Ele cresce assim, é o cabelo dela, que integra a identidade dela. E, o pior, ela é a vítima do preconceito dos outros alunos sendo tratada como culpada.


Reportagem em inglês

Você pensa que, numa instituição responsável por educar, se uma criança chama atenção das outras pelas suas características físicas, a escola vai orientar as outras pra que respeitem as diferenças. Mas não, o colégio achou preferível perpetuar um ideal racista e dizer à criança que ela precisa de um cabelo liso pra se adequar.

Agora me digam. Como esperar que a publicidade, a TV, as revistas, a sociedade abandonem a ideia de  que vivem entre a casa grande e a senzala e evoluam, se as crianças que vão comandar isso tudo daqui a alguns anos já tão recebendo todo um legado de atraso justamente no lugar onde deveriam ser instruídas a evoluir?

Esse é só um caso? É.
Aconteceu fora no Brasil? Sim.

Mas ele é familiar a muitas situações que a gente vê constantemente aqui e em tantos outros lugares. Infelizmente, a maioria vai passar em branco e não vai ganhar o destaque que o caso de Vanessa teve.

Vanessa disse que, mesmo sentindo saudade dos amigos, prefere ser expulsa a abrir mão do seu cabelo. Não sei se ela já tem consciência disso, mas, a essa altura, já nem é mais só um cabelo, mas uma bandeira por um mundo menos babaca e por uma escola mais preocupada com o tipo de cidadão que pretende formar.

20 comentários

  1. Triste isso, pessoas que deveria ser "esclarecidas" agindo dessa maneira é repugnante, ha alguns anos um menino homossexual levou alguns dias de suspensão na escola onde eu estudava só porque estava com uma roupa feminina demais (diga se rosa e apertada) e porque se maquiou no banheiro da escola antes de ir para uma festa, alguns podem pensar q isso não se faz numa escola, mas TODAS as meninas faziam o mesmo, e ainda se vestiam d
    e maneira bem vulgar, mas ele chamou a atenção dos meninos e a culpa foi dele!

    ResponderExcluir
  2. Muito triste isso!! O cabelo dela é como é, e é bonito!! puro preconceito, o que acredito viu?

    ResponderExcluir
  3. Pior que o cabelo dela é lindo assim...

    ResponderExcluir
  4. Andréa sem i26/11/13 21:47

    Um mundo menos babaca e uma escola mais preocupada com o tipo de cidadão que pretende formar... É ISSO QUE TÁ FALTANDO, EXATAMENTE ISSO!

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho 25 anos e ainda tenho que ouvir gente dizendo "Mas pq vc não alisa o cabelo? Ia ficar tão lindo"

    Não dá pra entender essa necessidade de querer que as pessoas sejam o que elas não são.

    ResponderExcluir
  6. ricota italiana derrete

    ResponderExcluir
  7. ¬¬
    Não creio!
    E eu aki, antes de ler a chamada do post achando o cabelo super estiloso. Será que um dia isso vai passar? O mundo parece estar caminhando mesmo para o fim.

    Blog do Sofá
    Loja Kodry

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Anchei o cabelo dela lindo cheio de personalidade. E uma pena este tipo de preconceito, infelizmente no Brasil tambem tem muito disto, eu mesma sofri um monte na escola dos 7 até os 10 anos e olha que nem era assim tão diferente o negocio e mesmo a mentalidade pobre e a falta de educação que as crianças tem que estimula este tipo de coisa.

    http://www.my-urban-life.com/

    ResponderExcluir
  10. É Dani, mais infelizmente esse não é um único caso...Isso acontece no cotidiano de muitas crianças dentro e fora do Brasil, que ficam impune e não chega ao nosso conhecimento...Infelizmente. Mais cabe a nós não deixar que essas crianças se sintam acorrentadas a esse modelo de país que vive ainda a ideia de Democratização Racial (Que não existe!) e uma fragmentação Racial. Devemos sim levantar a bandeira do respeito e aceitação de sua raça e dar cada vez mais força para que essas mesmas crianças lutem contra esses cordialismos Raciais.

    Bjs, Flor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é, Day. Respeito ais direitos sendo substituído por cordialidade sempre. E tem quem ache que tá fazendo certo.

      Excluir
  11. Que feio esse preconceito todo!
    Só deixo aqui meu comentário, o escritor(a) do blog, poderia cuidar os erros na escrita! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thamy, você poderia me dizer onde estão os erros? Beijo.

      Excluir
    2. Na parte que diz q ela não poderia continuar no colegio, está "oderia"

      Excluir
  12. Oi, Dani! Não tinha visto essa matéria antes, mas concordo com você. Agora deixou de ser apenas o cabelo para se tornar uma bandeira por um mundo bem menos babaca. O mais legal é que ela se manteve fiel a quem ela é e se recusou a abrir mão da sua identidade visual pela vontade dos outros. Muitas vezes, as pessoas preferem se adequar para evitar conflitos, mas, de vez em quando, eles são necessários para que as mudanças ocorram.
    Eu mesma sofri muito na escola por conta de aparência e até tentei mudar alguma coisa, antes de perceber que o mais importante é eu me sentir bem comigo mesma e não os outros se sentirem bem com a minha aparência.

    Beijos!
    www.maniasdemoca.com

    ResponderExcluir
  13. Meu filho de apenas 5anos passou recentemente por algo vamos dizer irritante em relação ao seu black , nunca achei nada demais "meninos" terem cabelos grandes ou desde criança assumirem seus black's...acontece q ele tava todo dia sendo caçoado pelos coleguinhas ou a' tia' sempre dizia :corte esse cabelo! Um belo dia mandei ele dizer "meu cabelo é assunto de minha família e não da escola !" recado dado e por enquanto surtindo efeito. Os cabelos do pequeno lembram o do Cezzinha (namorido da Elba)...se ele pode, pq o meu baby não ? certos preconceitos chegam ser nojentos e começam na mais terna infância, cabe aos pais ficarem ligados e cabe à nós tbm sempre q necessário ensinar q 'cada um venho com características q são suas e únicas' Abços Maria Morais.

    ResponderExcluir
  14. Extremamente desagradável, desnecessário e triste! A situação já é terrível, mas fica pior por ter acontecido na escola, lugar de todos e para todos. Lugar de ver o diferente e lidar com esta diferença (e sabemos que são tantas...). Esta escola perdeu a oportunidade de trabalhar com os alunos temas como preconceito, bullying, racismo etc. Quando um caso desse vem a público, retomo meus questionamentos sobre a "ditadura da beleza": todos no mesmo padrão, quem não é exatamente do jeito TEM que se enquadrar. Penso nas capas de revistas/modelos/atrizes impostas como "modelo"/padrão de beleza. Ora, beleza é conceito subjetivo: o que acho bonito, pode não ser para tantas outras pessoas, e vice-versa. Me questiono tmb sobre mulheres negras de sucesso que passam por um "branqueamento": cabelos ultra lisos com mechas/pintados de loiro, até tom da pele mais claro, lentes de contato azuis. Ex: Beyonce, Tyra Banks, Naomi Campbell... Esse assunto rende mta conversa, reflexão!

    ResponderExcluir
  15. Jéssica Nascimento06/12/13 05:49

    Dani, aconteceu em Guarulhos - SP, http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/12/colegio-em-guarulhos-obriga-menino-cortar-o-cabelo-crespo.html É tão absurdo q nem parece real, né?

    ResponderExcluir
  16. Parabéns pelo posts! Muito bom saber que no mundo existem pessoas com o pensamento como o seu ,que não fazem como a Fernanda Lima ,que lava as mãos só porque é branca .
    http://oultimoblackpower.blogspot.com.br/
    Abrçs! Jota

    ResponderExcluir
  17. E eu achando que o meu cabelo já me fez sofrer. Cabelo é questão pessoal e não pública. Se a escola não percebeu, estou falando., o cabelo dela é lindo, e está na moda este tipo de cabelo. O meu cabelo é meio revoltado, mas bem cuidado, ele é top e não foda. A escola dessa menina tem cara de ser bem cuidado, se não tivesse, a escola deveria enviar um bilhete para os pais, ,mas mesmo assim escolhendo bem as palavras, e não falando para a menina cortar ou alisar as madeixas dela.

    ResponderExcluir