Decoração

Decoração
Decoração

Vídeos

Vídeos
Vídeos

Receitas

Receitas
Receitas

Cozinha Sob Pressão no Youtube


Acabei de ver a estreia da segunda temporada de Cozinha Sob Pressão (adaptação do gringo Hell's Kitchen) e, sem brincadeira, parece que eu sou participante de tão tensa que fiquei. Como é louco o tanto que a gente se fragiliza na perspectiva de ser julgado, avaliado, né?

Da metade até o fim do episódio, quando cada chef dava seu prato pro Carlos Bertolazzi - chef/carrasco/apresentador - acho que meu coração bateu umas três ou quatro vezes só. Já tô ansiosa pro segundo episódio.

O mais legal do programa é que o SBT disponibiliza todos os episódios no Youtube desde a primeira temporada. Como eu não costumo ver TV, acabo perdendo até os programas que quero acompanhar, então ter tudo no Youtube facilita demais minha vida. Só clicar no play e ser feliz. Quer dizer, só clicar no play e quase ter um ataque de nervoso.

Bem que podia ser em HD, né, SBT?

Sei que tá no comecinho mas meio que já tenho algumas impressões sobre os participantes Vou deixar aqui porque, vai que eu acerto, né? [PODE CONTER SPOILERS]


Daniela: começando pela minha xará, ela tem cara de ser bem de boa e competente. Acho que chega até a reta final.

Deborah: achei muito falastrona, dessas pessoas que pensam que se destacam da multidão com sua personalidade supostamente única (só elas mesmas acham), mas depois simpatizei com o prato que ela fez e com a justificativa. Acho que vou ora amar, ora odiar a moça, mas acho que ela entende das panelas lá.

Esther: mano, acho que ela é meio temperamental e a fim de criar discórdia. Deu pra perceber isso no momento em que eles conversam no carro e nas cenas do próximo episódio. Vamo ver.

Gabriela: gostei dela. Pareceu ser gente boa (e ter o melhor estilo do programa) e tem muita cara de quem vai fazer prato maravilhoso atrás de prato maravilhoso até chegar à final.

Katia: não sei o que achar dela. Por enquanto, parece ser daquelas pessoas que nem amo nem odeio e mal noto.

Luciana: durante todo o episódio, eu só conseguia desejar que ela calasse a boca. Quanto mais nervosa, mais fala. Momento de tensão na cozinha, todo mundo calado trabalhando, e ela: o cheiro de seu tá bom, quer um pedaço? Não sei quê, não sei que lá. O cara provando lá o prato dela, comentando e, acada frase que ele dizia, ela pontuava com uma palavra. Um saco.

Marja: simpatizo com ela, parece ter muita segurança sem ser exibicionista, mas ainda não tenho certeza do que pensar.

Nathalia: às vezes, as pessoas têm tanto medo de arriscar pra não perder que se anular até o limite: aí vale pra emoções, experiências e habilidades. Quem não ocupa um espaço não faz falta a ele.



Filipe: não sei o que pensar dele ainda. Por enquanto, não me marcou nem positiva nem negativamente.

Hugo: o engraçadonho do grupo. Geral tensa tentando manter o foco e ele fazendo dancinhas, musiquinhas, performances, sabe? Paga de animador de caravana e ainda quebra a concentração dos outros.

Igor: pareceu ser bem na dele e seguro. Não foi dos mais expressivos no primeiro episódio, então não sei muito o que pensar sobre.

Mário: parece ser daquelas pessoas que preferem trabalhar do que falar. Tendo a gostar dessas mas acho que ele tem tendências à insegurança. Aguardemos.

Marcos: acho que ele é legal e parece ser muito bom em criar o conceito dos pratos. Desde o começo, já deixou claro que pretende usar muitas referências da culinária nordestina (ele é de Recife e mora em Natal) e eu achei isso muito inteligente porque criou uma marca desde o primeiro episódio. O mocinho é bom de branding ou parece ser.

Paulo: se eu quase chorei nesse programa, foi por causa dessa criatura. Quero que ele vá longe porque a maioria dos chefs já tem uma carreira construída. Ele é subchef e tem uma história de vida bem sacrificada. Então o prêmio de 100 mil poderia dividir a carreira dele entre antes e depois. O negócio é que tem horas que ele parece meio acomodado, lento pra entrar no clima de competição. Eu espero que essa "calma" se torne um diferencial positivo ou ele dê fim a ela.

Pedro: ele deve ser muito bom chef mas é daquelas pessoas que parecem ter necessidade o tempo todo de dizer/mostrar como são bem sucedidas. Mas eu entendo que, às vezes, você passa tanto tempo tentando provar que é capaz que (parece que ele enfrentou resistência no começo da carreira), quando consegue, pensa que precisa continuar provando. Bom, não sei se vou ou não gostar dele ainda.

Rafael: posso estar enganada, mas não vejo ele na reta final. A menos que ele se transforme daqui pra lá, parece muito inseguro, desatento e predisposto a meter os pés pelas mãos.

Ufa. Falei demais, né? Mas adoro esse estilo de reality show e adoraria que rolasse mais na TV brasileira.

Alguém mais viu esse episódio? Me conta.

6 comentários

  1. Eu tb estou assistindo

    bjs

    http://ladycatblog1.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Ah, esse programa é demais, eu fiz questão de assistir a programação noturna toda do SBT sábado, e ó, adorei a Daniela também, a menina tem talento. Já a Nathalia ralou fora assim que foi dado a ela uma segunda chance e ela não soube aproveitar :/

    Beijocas, agora é aguardar cenas dos próximos capítulos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mulher, achei que ela saiu totalmente pela falta de coragem. O primeiro prato foi a coisa mais besta do mundo. :O

      Excluir
  3. Eu adorei e também fiquei morrendo de pena do povo. Tô torcendo para o Marcos. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. meu coração quase para. achei o programa muito bom, só uma edição muito boa pra dar essa tensão. :)

      Excluir